Como seus amores são belos,minha irmã, noiva minha. Seus amores são melhores do que o vinho, e mais fino que os outros aromas é o odor dos teus perfumes. Por isso Eu quero consumir meus dias, no seu amor! ══════ ღೋ♡✿♡ღೋ═══════

Ani Ledodi Vedodi Li


Mais do que qualquer outro motivo, esta é a razão pela qual quero fazer deste blog um caminho para amarmos mais a Deus, por isso seu nome: “Ani Ledodi Vedodi Li”

Para você entrar em nossos artigos click nas imagens nas laterais e encontrarás os lincks dos artigos postados.

Deus o Abençõe !

E que possas crescer com nossas postagens.

É algo louvável esconder o segredo dos Reis; mas há glória em publicar as obras de Deus!

A Igreja não tem pressa, porque ela possui a Eternidade. E se todas as outras instituições morrem nesta Terra, a Santa Igreja continua no Céu.

Não existem nem tempos nem lugares sem escolhas.

E eu sei quanto resisto a escolher-te.

"Quando sacralizamos alguém essa pessoa permanece viva para sempre!"

Sacralize cada instante de tua vida amando o Amado e no Amado os amados de Deus !


Pe.Emílio Carlos

terça-feira, 11 de julho de 2017

Para o centro de nós mesmos.



Voltar-se para o centro de nós mesmos.

Amados em nosso artigo de hoje gostaria de tratar de um tema um tanto pertinente, os homens estão vivendo na superficialidade de si mesmos e a cada dia mais se perdem, são roubados de si mesmos pois estão vivendo no exterior e quanto mais exterior mais superficialidade e menos interioridade que nos leva para dentro de nós e nossas reais necessidades.

Certo é o que são Agostinho dizia: “Preocupa-te se a árvore de tua vida tem galhos apodrecidos? Não percas tempo; cuida bem da raiz e não terás de andar pelos galhos”
Por isso eu não busco a felicidade fora do meu interior, na qual Deus habita.

O conselho de santo Agostinho é atual para nossa sociedade e humanidade de hoje que corre atrás do supérfluo e do que não é essencial, cada dia mais fora de si mesmo quanto mais exterioridade mais nos perdemos de nós mesmos. Veja o que ele nos disse:- “Dentro de cada homem há uma guerra civil” “Não saias de ti. Volta-te para ti mesmo. A verdade reside no homem interior. O homem se torna pior e empobrece quando, lançando-se à conquista do externo, vive expulsando suas intimidades” “Na maioria das vezes o homem desconhece a si mesmo. Vítima do descuido ou da improvisação, ou presume de suas carências ou desespera de suas possibilidades. Só quando a tentação o prova com um questionamento de urgência, o homem consegue conhecer a verdade sobre si mesmo.”

"Conhece-te a ti mesmo" revela a importância do autoconhecimento, sendo uma frase bastante conhecida no ramo da Filosofia. Não há certeza absoluta em relação a quem foi autor desta máxima, mas há vários autores que atribuem a autoria da frase ao sábio grego Tales de Mileto. Apesar disso, existem teorias que afirmam que a frase foi dita por Sócrates, Heráclito ou Pitágoras.

"Conhece-te a ti mesmo" está inscrito na entrada do templo de Delfos, construído em honra a Apolo, o deus grego do sol, da beleza e da harmonia. Esta frase indica que o primeiro passo para o verdadeiro conhecimento é nos conhecermos a nós próprios. Se queremos conhecer o mundo à nossa volta, devemos em primeiro lugar conhecer quem nós somos. O conhecimento e conhecer a nós próprios é um processo, uma busca que não tem fim e a cada dia podemos aprender mais. O processo de autoconhecimento muda a forma como uma pessoa interage com o mundo e com as outras pessoas, abrindo a possibilidade para conhecer e aprender novas coisas. Outra explicação é que é mais importante nós nos conhecermos, termos noção de quem nós somos, e não dar importância ao que as outras pessoas pensam sobre nós.

Mas prefiro santa Teresa de Jesus doutora da Igreja para ela a pessoa é como um castelo habitado pela Trindade (IM,1-5) à espera do encontro com sua criatura: “A alma é como um castelo, todo de diamante ou de cristal com muitas moradas. E no centro, a principal, é onde passam as coisas mais secretas entre Deus e a alma”. Nele há muitas moradas, que expressam os distintos níveis da relação que a pessoa tem consigo, com os outros, com Deus e com o mundo. O conhecimento próprio é essencial para essa viagem interior. “A porta para entrar nesse castelo é a oração e reflexão” (IM).

"Para Teresa de Jesus, Deus é o que há de mais importante na sua vida, um Deus muito próximo e humano. Diz que podemos encontrá-Lo em toda a parte, especialmente dentro de nós mesmos (as)" Consideramos a nossa vida não tanto como um caminho rumo a Deus, mas experimentamos Deus vivendo em nós, como explica a frase de São Paulo: “Já não sou eu quem vive, é Cristo que vive em mim!” (Gálatas 2,20). Nesse processo, Teresa adverte para não ficar olhando para as misérias humanas, e sim para Jesus Cristo, o grande amigo. É um dinamismo onde a pessoa reconhece sua identidade e o mistério da sua liberdade. Teresa adverte que, quando a pessoa se nega ao Amor, está se fechando em si mesma (IM6-8). E, para fazer frente a uma antropologia egocêntrica, Teresa propõe um dinamismo de êxodo - a pessoa deve entrar dentro de si, autoconhecer-se, aceitando a própria realidade, como também a realidade alheia. 

A imagem do castelo interior expressa um dinamismo dialético de integração entre interioridade e exterioridade, levando a pessoa a sair de si mesma, vivendo numa relação progressiva de entrega, partilhando seus dons, criando novas relações. Enfim certo é que descendo para dentro de nós mesmos e na vivência do Amor que habita em nós que a pessoa integra todas as suas potencialidades. As crises e contradições podem converter-se em lugar de encontro. 

A pessoa, sabendo-se amada, responde amando. Sente-se convidada a “conhecê-Lo, amá-Lo, torná-Lo conhecido e amado.” Volte-se para o centro de ti mesmo! E terás a verdadeira felicidade!

Pe. Emílio Carlos Mancini-

Decisões e consequências.



Suas “decisões diárias” têm consequências eternas.


“Sei que nada há melhor para o homem do que regozijar-se e levar vida regalada; e também que é dom de Deus que possa o homem comer, beber e desfrutar o bem de todo o seu trabalho. Sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar e nada lhe tirar; e isto faz Deus para que os homens temam diante dele”.
(Eclesiastes 3,12-14)

 Não importa quão difícil sejam as suas circunstâncias, a “sua vida” tem muito mais potencial do que jamais imaginou! Ela é sua para “investir ou desperdiçar”! Não importa qual seja a sua idade, nunca é tarde e nem cedo demais para começar a planejar e investir na Eternidade! Você foi criado para viver! Suas “decisões diárias” têm consequências eternas, e Deus não escolhe por você! Você é quem deve fazer as escolhas! E de preferência, sábias!

SUA VIDA APENAS COMEÇOU: Não importa quanto tempo ela dure, é somente uma “pequena fração” da sua existência, que nunca terminará! Para cada dia que você vive na terra, haverá “bilhões e bilhões” de anos futuros! Em todos eles, você estará “colhendo o que semeia, agora”! E você não pode deixar de semear, assim como não pode deixar de colher! Não importa quão maravilhosa ou difícil seja a sua vida hoje, você pode, se quiser, preparar-se para um futuro melhor! A sua vida, quer invista nela ou a desperdice, é direcionada para o futuro! E o futuro, você não pode nem adiá-lo, e nem fugir dele: (Mateus 25,46) “E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna”.

SUA VIDA FOI DESENVOLVIDA PARA ESCOLHER: Isso significa que a sua vida foi lhe dada para que você se prepare para a eternidade! A cada dia você faz escolhas que irão afetar a sua eternidade! A capacidade de escolher é um “dom de Deus”, que te faz se assemelhar ao próprio Deus! Cada escolha certa, tudo o que você faz para agradar e amar a Deus, para servir a Deus, ou para abençoar a outros, é um acréscimo à sua recompensa eterna! A eternidade, é o plano, é o lugar e é o tempo, para a sua recompensa final e infindável!

O CÉU MANTÉM O SEU REGISTRO: Nenhum registro mantido por quem quer que seja neste mundo é tão completo e minucioso quanto o de Deus! O cristão nunca está só! Os anjos do Senhor estão sempre por perto: (Salmos 34,7) “O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra”. Eles não só ficam à sua disposição para ajudá-lo, como também mantêm os registros de Deus atualizados! O céu contém o “Livro da Vida”, como também o nome de cada pessoa salva: (Salmos 87,6) “O SENHOR, ao registrar os povos, dirá: Este nasceu lá”. Quais são as coisas marcadas sobre a sua vida no seu registro do céu?

SUA VIDA AVALIADA POR DEUS: Deus não avalia a vida apenas pela cronologia, ou seja pelos anos vividos: (2ª Pedro 3,8) “Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia”. A sua vida é composta de mais do que dias, semanas e anos! A perspectiva de Deus sobre a vida é muito diferente da nossa perspectiva humana! A vida “mais notável” não é necessariamente a mais longa, ocupada ou famosa! A vida de alguns dos “heróis” deste mundo, é “podre e pobre” diante da medida de Deus e da eternidade! O “não deveis esquecer”, deve nos trazer um alerta! Não estamos nos dando conta do que acontece ao nosso redor, e começamos a avaliar as pessoas, as atividades, e a própria vida, pelos padrões desse mundo! Perdemos o sentido eterno das coisas!
Precisamos da perspectiva de Deus sobre a vida e do viver cristão! “Um dia vivido para Deus” pode ser comparado ao valor combinado de mil anos! O tempo tem importância para o Senhor quando investimos a favor de Dele e seu Reino! Como também “um dia perdido”, é igual a mil anos aos olhos de Deus, e o tempo perdido representa “perda eterna”!
Tome cuidado para não ser o herói de hoje, mas o tolo de amanhã! Tome cuidado para não ser grande aos olhos de sua família, de sua comunidade ou dos homens! É possível, mesmo sendo uma pessoa salva, ser um “tolo eterno” aos olhos de Deus! Entenda que, o que você vier a fazer com a sua vida depois de ter sido salvo tem consequências eternas: (1ª Coríntios 3,11-15) “Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo”.

Eu não sei o que você tem feito até aqui!

Só sei que a partir de agora, você não é mais ignorante a respeito da sua vida! Tudo o que você vier a fazer de agora em diante estará debaixo desta palavra: “Para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia”!
Deus te deu o “dom da vida”! O que você irá fazer com este dom? A escolha é sua! Se você entendeu esta Palavra e quer a partir de agora investir em sua eternidade aceite Jesus como Senhor e Salvador, este investimento é possível.

Pe.Emílio Carlos Mancini+

O Tempo a Eternidade.



“O valor do aproveitamento do tempo”.


Não há tempo a perder! O tempo vale ouro!
Quantas vezes já ouvimos frases como estas. E elas fazem todo o sentido, pois a vida é breve. Se já fazem sentido quando uma pessoa pensa em aproveitar esta vida, em ganhar dinheiro - daí o tempo valer ouro - muito mais quando, do ponto de vista de Deus, está em jogo o cumprimento da nossa missão aqui na terra.

Não importa quão difícil sejam as suas circunstâncias, a “sua vida” tem muito mais potencial do que jamais imaginou! Ela é sua para “investir ou desperdiçar”! Não importa qual seja a sua idade, nunca é tarde e nem cedo demais para começar a planejar e investir na eternidade!

De fato, um dos ensinamentos mais importantes de Jesus Cristo foi a parábola dos talentos e o comentário que fez diante de uma figueira estéril. Na parábola dos talentos nos diz que nos envia a este mundo com uns talentos concretos e no final da nossa vida nos pedirá contas do que fizemos com eles.

Se, com eles, soubemos rendê-los, cumprir uma missão. Quanto à figueira estéril, ao se aproximar dela e ver que só tinha folhas e não frutos, faz-lhe uma censura por sua esterilidade. A figueira é uma imagem clara da vida humana.

Todos somos conscientes de que temos uma missão a cumprir aqui na terra e de que temos que ir atrás deste objetivo com todas as forças. Temos uma missão a cumprir na nossa família, na empresa onde trabalhamos, com os nossos amigos, na sociedade e em todos os ambientes da nossa vida.
Para cumprir esta missão só há um meio: organizar-se, planejar-se, termos um horário por escrito.

Com tantos âmbitos na nossa vida, familiar, profissional, pessoal, amizades, social etc, se não nos organizamos:
- sempre haverá algum campo que não estaremos cuidando;
- a preguiça falará mais alto;
- faremos o que gostamos e deixaremos para depois ou para nunca o que não gostamos;
- perderemos o tempo.

É vital, portanto, o planejamento. É vital colocar por escrito o que temos que fazer cada dia.
Se não fizermos isto, experimentaremos o que diz um autor: “o vazio de uma vida desperdiçada”.
O valor que deve estar na frente de todos é o da caridade: o amor a Deus e ao próximo.
Assim, por exemplo, se chegar de viagem um tio que mora em outra cidade e no nosso horário está previsto fazer um esporte, logicamente vamos receber este tio e depois veremos se será possível fazer a nossa atividade física. Sem bitolações, portanto, mas sem cair no outro lado que é não planejar nada e deixar tudo ao sabor das emoções.

Como é gostoso ter uma ordem, um planejamento e ter a sensação de estar aproveitando imensamente o tempo da nossa vida.
Fomos feitos para isso, para deixar marca na terra, para cumprir uma missão bem grande.
E, por isso, sentimos falta de um planejamento melhor.
Precisamos caminhar.  O caminhante não pode fixar apenas o solo que pisa, mas deve estar aberto também ao horizonte que se descortina lá adiante. Nenhum vento ajuda o veleiro sem rumo certo, o barco sem porto, sem direção.  Onde você precisa chegar hoje? Valorize o seu tempo e não perca tempo.

Ocupemos-nos no tempo com a Eternidade.
A Eternidade está fora do tempo, por isto não pode ser medida em termos de tempo. Ela não demora mais nem menos, mas ela é tudo. Na Eternidade, não há antes e nem depois, por que todos os momentos são o mesmo e único momento, este momento é incomensurável.
E o que é Eterno, é como a Eternidade, não tem início nem fim, nascimento ou morte. Simplesmente É.
O valor do tempo esta em tudo na perspectiva do Eternizar nossa vida, por isso neste tempo sacralizemos o valor de cada minuto que aqui temos.

Pe.Emílio Carlos Mancini+

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Amor derramado em nossos corações.




Pentecostes- Solenidade

Hoje, no dia de Pentecostes se realiza o cumprimento da promessa que Cristo fez aos Apóstolos.
Na tarde do dia de Páscoa soprou sobre eles e lhes disse: «Recebei o Espírito Santo» (Jo 20,22). A vinda do Espírito Santo o dia de Pentecostes renova e leva à plenitude esse dom de um modo solene e com manifestações externas. Assim culmina o mistério pascal.

O Espírito que Jesus comunica cria no discípulo uma nova condição humana e produz unidade. Quando o orgulho do homem lhe leva a desafiar a Deus construindo a torre de Babel, Deus confunde as suas línguas e não podem se entender. Em Pentecostes acontece o contrário: por graça do Espírito Santo, os Apóstolos são entendidos por pessoas das mais diversas procedências e línguas.

O Espírito Santo é o Mestre interior que guia ao discípulo até a verdade, que lhe move a obrar o bem, que o consola na dor, que o transforma interiormente, dando-lhe uma força, uma capacidade nova.

O primeiro dia de Pentecostes da era cristã, os apóstolos estavam reunidos em companhia de Maria e, estavam em oração. O recolhimento, a atitude orante é imprescindível para receber o Espírito. «De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles» (At 2,2-3).

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e, puseram-se a predicar valentemente. Aqueles homens atemorizados tinham sido transformados em valentes predicadores que não temiam o cárcere, nem a tortura, nem o martírio. Não é estranho; a força do Espírito estava neles.

O Espírito Santo, Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, é a alma da minha alma, a vida da minha vida, o ser de meu ser; é o meu santificador, o hóspede do meu interior mais profundo. Para chegar à maturação na vida de fé é preciso que a relação com Ele seja cada vez mais consciente, mais pessoal. Nesta celebração de Pentecostes abramos as portas de nosso interior de par em par.

Primeiro Fruto do Espírito Santo antes dos dons carismáticos é a própria Igreja ...
Segundo a unidade é signo claro da presença do Espírito nas nossas comunidades.

Os elementos essenciais que definem a Igreja de Jesus-:
Uma comunidade de irmãos reunidos por causa de Jesus;
Uma Igreja animada pelo Espírito do Senhor ressuscitado e que testemunha na história o projeto libertador de Jesus.
Desse testemunho resulta a comunidade universal da salvação, que vive no amor e na partilha, apesar das diferenças ... as diversidades nos completam .

A Igreja de que fazemos parte é uma comunidade de irmãos que se amam, apesar das diferenças?

Está reunida por causa de Jesus e à volta de Jesus? Somos católicos do Fã clube...

Temos consciência de que o Espírito está presente e que a anima?

Testemunha, de forma efetiva e coerente, a proposta libertadora que Jesus deixou?
 Nunca será demais realçar o papel do Espírito na tomada de consciência da identidade e da missão da Igreja… 
Antes do Pentecostes, tínhamos apenas um grupo fechado dentro de quatro paredes, incapaz de superar o medo e de arriscar, sem a iniciativa nem a coragem do testemunho; 
depois do Pentecostes, temos uma comunidade unida, que ultrapassa as suas limitações humanas e se assume como comunidade de amor e de partilha capaz da martíria.
Temos consciência de que é o Espírito que nos renova, que nos orienta e que nos anima?
Damos suficiente espaço à ação do Espírito, em nós e nas nossas comunidades?

O mais importante da Igreja é invisível e, é precisamente a presença do Espírito que a vivifica.
Quando olhamos a Igreja unicamente com olhos humanos, sem fazê-la objeto de fé, erramos, porque deixamos de perceber nela a força do Espírito.

Na normal tensão entre unidade e diversidade, entre igreja universal e local, entre comunhão sobrenatural e comunidade de irmãos, necessitamos saborear a presença do Reino de Deus na sua Igreja peregrina. Na oração coleta da celebração eucarística da vigília pedimos a Deus que «os povos divididos (...) se congreguem por meio do teu Espírito e, reunidos, confessem teu nome na diversidade de suas línguas».

Agora devemos pedir a Deus saber descobrir o Espírito como alma de nossa alma e alma da Igreja.

                                                 ***************************